Publicidade

1.400 pessoas passaram pelo mutirão do Olho Diabético

IMG 3007Mais de 200 pacientes apresentaram alterações no exame. Os corredores do Hospital 'Carlos Fernando Malzoni' estavam ocupados no último sábado, 6, mas por um bom motivo.

O mutirão do Olho Diabético movimentou mais de mil pessoas que chegaram a instituição em busca do exame do fundo do olho. “A campanha foi bem divulgada e por isso a população compareceu em peso. Desde a abertura das portas do Hospital, logo pela manhã, ouvimos relatos de pacientes que nunca tinham realizado o exame e que, apreensivos, estavam ansiosos para passar pelos médicos”, explica a administradora do hospitalar, Denise Minelli.

Promovido pelo Hospital de Matão, em parceria com a Prefeitura Municipal e Centro de Referência de Ensino, Saúde e Pesquisa, o mutirão atendeu 1.400 pacientes diabéticos, recebidos por voluntários da instituição, do programa Estratégia de Saúde da Família, Escola Técnica Sylvio de Mattos Carvalho e Lions Clube de Matão. “Contamos com 60 voluntários que se dividirem entre as fichas cadastrais dos pacientes, recepção, controle de fila, acesso aos exames, encaminhamento. Todos eles foram distribuídos de forma a orientar todos os participantes do mutirão”, comenta Denise, que ainda completa. “A equipe vinda de Araraquara com o Dr. Cardillo atendeu até o último paciente com muita dedicação e atenção”, diz.

Com avaliação positiva por parte dos médicos especialistas presentes para analisar os pacientes diabéticos, o mutirão pode encontrar casos com alterações e que requerem cuidado imediato. “A avaliação da campanha em Matão foi muito positiva, nós realmente esperávamos, baseado na população, um número de 600 pacientes, mas a mobilização na divulgação da campanha acabou dobrando essa estatística. O maior beneficiário de tudo isso foi a população carente que pode ter acesso ao exame”, destaca o médico responsável pela campanha De Olho no Diabetes, o oftalmologista Dr. José Augusto Cardillo. Para o especialista, hoje em dia há mais conscientização sobre as complicações da Diabetes e sobre a importância do controle da doença. “O Diabetes é uma luta contra o tempo, quando você não faz um pronto diagnóstico e um pronto atendimento, essa pessoa está condenada à cegueira. Por isso, esse diagnóstico precoce é muito importante”, afirma.

Após avaliação das fichas cadastradass pós-mutirão, foram detectados 230 pacientes com alterações no exame do fundo de olho, entre elas: retinopatia diabética grave e leve; glaucoma; catarata e alterações oftalmológicas. De acordo com o Prefeito de Matão, Edinardo Esquetini, serão planejados outros mutirões e estes pacientes com alterações serão contatados para tratamento. “Nós sabíamos que existia uma quantidade considerável de diabéticos na cidade e havia grande preocupação de nossa parte em ajudar neste tratamento”, aponta.

Para o Secretário de Saúde, Dr. João Guimarães Junqueira Neto, a partir de agora os pacientes serão informados sobre os próximos passos. “Na realidade, estamos encaminhando as pessoas que estão com problemas mais graves para fazerem cadastro e, depois, analisaremos as ações a serem tomadas a partir de cada diagnóstico. Além deste mutirão, outros estão sendo planejados para melhorar o atendimento da população”, afirma.

A campanha “De Olho Diabetes” auxiliou na busca ativa de pacientes com alterações nos olhos, para o oftalmologista pode-se identificar outras doenças que podem levar a cegueira. “Cada cidade em que realizamos o projeto tem a sua particularidade, em Matão, um caso que me chamou muita atenção e foi que outra doença despontou entre a população, o glaucoma. O glaucoma é outra doença silenciosa e pudemos identificar pacientes que estavam quase cegos por conta disso e não sabiam”, lembra Dr. Cardillo.

Os pacientes que serão encaminhados para tratamento serão contatados para agendamento de nova consulta com os profissionais.

Fonte: Hospital de Matão | Foto: Divulgação.

Pesquise no Site

Publicidade